Se fosse para cumprir pena, preferia morrer'

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse na tarde de hoje (13), na capital paulista, que prefere a morte a uma longa pena no sistema prisional brasileiro, porque as condições nos presídios nacionais são medievais. “Se fosse para cumprir muitos anos em uma prisão nossa, eu preferiria morrer”, disse Cardozo durante um encontro com empresários paulistas .

Futura Press

Geraldo Alckmine o ministro José Eduardo Cardozo se encontram para discutir combate ao crime

Leia também: União e governos estaduais devem se unir em combate ao crime

Cardozo salientou que o sistema prisional do país precisa melhorar muito. “Não é porque eu tenho um sistema [prisional] debilitado, que não oferece condições de reinserção, que eu vou negar o princípio que eu tenho que seguir. Eu tenho é que melhorar o meu sistema, cumprir o meu papel”, disse.

Ontem: São Paulo tem nova madrugada violenta com mortes e coletivos incendiados

O ministro respondia a perguntas feitas pelos empresários na reunião do Grupo de Líderes Empresarias (Lide). Ele foi questionado a respeito de prisão perpétua, pena de morte e castração química a estupradores e pedófilos. Cardozo mostrou-se contrário à aplicação desses tipos de penas no país.

 

Por: Agência Brasil | 13/11/2012 20:00:43 - Atualizada às 13/11/2012 20:05:52  |  Data: 13/11/2012    Postado às 17h48